Desestabilidade conjugal



      Para certos tipos de indagações, por mais que se revelem básicas, na evolução ao longo do tempo de vida juntos; elucidar as dúvidas objetivando a sustentabilidade do  relacionamento tornar-se uma tarefa nada fácil.
      Pois, faz-se necessário um olhar apurado, não valendo a pena um simples reparar, ou golpe de vista, mas atentar para aquilo que se está vivenciando. Isso facilita no momento em que for destrinçar os motivos dos conflitos, especialmente a ausência do que é realmente significativo e o excesso de futilidades. Esse regramento é de suma importância, tendo em vista, não perder o que se ganhou ou desacelerar o ritmo dentro da simetria que os uniu. 
     Dilemas são necessários dentro da complexidade da relação, só assim teremos o pleno conhecimento do que está no interior de cada indivíduo para então podermos combater o que tem gerado tantos embates. A cada estudo, a situação tem que ser revista levando em conta qual o oposto do ideal está sendo vivido. A visão apurada nos levará a verificar as evidências, suas análises nos revelarão o que precisa ser restaurado, abandonado, melhorado.
      A reflexão nos conduzirá ao foco, por exemplo, dentro de lar, muitas vezes o problema apontado são as discussões, mas uma simples constatação nos fará perguntar: Quais os motivos das discussões? Esses, sim, são o epicentro de toda desestabilidade conjugal. 
      Eis, portanto, um grande desafio, agir! Tomar iniciativa de atacar o problema. Talvez a forma mais óbvia, não seja nova, tampouco desconhecida. Simplesmente é amar, abraçar, ouvir, olhar, dialogar, dar atenção, elogiar, não custa dinheiro, mas requer esforço.

"O sábio de coração é considerado prudente; quem fala com equilíbrio promove a instrução". Pv 16.21

Joaquim Queiroz

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

QUILOMBOS E REVOLTAS ESCRAVAS NO BRASIL

A ENTRADA DA IGREJA NOS CÉUS

Como um arco íris