Pular para o conteúdo principal

Postagens

Páscoa

I. PÁSCOA (Lv. 23:5)1. O que é a Páscoa:
      O desenho mostra um hebreu aspergindo o sangue de um cordeiro sobre as ombreiras (batentes ou colunas verticais) e nas vergas da porta (Êxodo 12:7). Observe que o sangue aspergido nas colunas e nas vergas, nos sentidos horizontal e vertical, apontam para a cruz de Cristo. Páscoa no hebraico é pessach que significa passagem ou passar por cima: "...é a páscoa do Senhor" (Ex.12:11), "Porque o Senhor passará para ferir os egípcios..." (Ex.12:23), "É o sacrifício da páscoa ao Senhor que passou por cima das casas dos filhos de Israel..." (Ex.12:27).
2. O Dia da Páscoa:
A festa começa com a morte de um cordeiro como oferta pelo pecado (Ex.12:2,6), no dia 14 do mês de abibe (Lv.23:15; Ex.13:4), que significa espigas verdes. Durante o exílio foi substituído pelo nome nisã (Ne.2:1) que significa começo ou abertura. Corresponde a março-abril em nosso calendário. A páscoa foi instituída numa sexta-feira, ou seja, um dia ante…
Postagens recentes

Contentamento

Naquele dia perguntei a você, e ali na cerimônia me deste a resposta que queríamos ouvir. Levarei o teu sim por toda vida. Posso te assegurar que o som que ouvi, foi bem maior do que o simples pronunciar da palavra sim, acolhi tua resposta como oferta da tua vida para mim. Um temor tomou conta do meu coração, e, pretendo corresponder as tuas expectativas, cumprir todas as promessas, amar, cuidar, proteger, na saúde e na doença, na riqueza e na pobreza, até que a morte nos separe.
         Apesar do medo que os sustos da vida causam, tenho coragem aqui para ti, e uma esperança que ninguém irá me tomar. Quão grande é o meu contentamento por ser teu esposo, aprecio nosso relacionamento, entusiasmado para celebrar todas as bodas que comemoraremos.

Obra consumada

Consumei a obra que me deste afazer. João 17.4


Será que o trabalho do Mestre realmente foi feito? Será que a colheita ainda não estava por vir? Ele ainda não havia se defrontado com a terrível hora da morte. Por que Ele disse que seu trabalho havia sido feito? É porque sabia que, quando a vontade é batida, a batalha termina. Ele estava apenas nas sombras do jardim; mas vencer essas sombras era vencer tudo, Aquele que se dispõe a morrer já triunfou sobre a morte. Tudo o que lhe resta é apenas a casca externa, a concha. O cálice que o Pai nos dá para beber é um cálice para a vontade. É fácil para os lábios sorvê-lo quando o coração já o aceitou. O cálice é apresentado, não nas alturas do Calvário, mas nas sombras do Getsêmani. O ato é fácil depois que a escolha está feita. O verdadeiro campo de batalha está no silêncio do espírito. Vença ali, e você receberá a coroa.
(George Matheson)

Nosso amor

O nosso amor não pode olhar para trás, ele é encantado e resiste ao tempo. Sua linguagem é brilhante, ama, perdoa e age com bondade, curando as feridas do relacionamento.
Vê o perigo, e não é covarde, não corre, nem finge, antes defende o coração do que é mal e cruel. Louva a Deus pela sua grandeza e fidelidade, diante das adversidades mostra a sua fé.

            O nosso amor é forte porque se renova de graça e das bençãos do Criador. O dia a dia é construído com muito companheirismo, considerando e agradando para ser considerado e receber agrados. Assim, vamos juntando gostos, em músicas, séries e sabores.           Nossa história está sendo escrita para ser contada para muitos, as nossas conquistas servirá para ensinar as gerações que vale a pena sonhar, que casamento existe, sim, é possível desfrutar do amor de forma contínua.
(Joaquim Queiroz)

Como um arco íris

Tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças. Eclesiastes 9.10
Se devemos viver separados do mundo, como va­mos executar corretamente as tarefas seculares, comuns da vida, uma vez que os homens só fazem direito aquilo que fazem com vontade? Se nosso coração está repleto de coisas celestiais, como obedeceremos a este outro mandamento igualmente divino: "Tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças"? Eles se harmonizam perfeitamente. O homem que se coloca entre o mundo celestial e o terreno está liga­do a ambos; ele não se parece com a flor, que brota do pó e para lá retorna; nem com a estrela, que brilhando muito longe da esfera terrena, pertence totalmente aos céus. Em vez disso, nosso coração pode ser ligado ao arco-íris que, alçando-se ao céu mas repousando na ter­ra, relaciona-se tanto com o solo dos vales quanto com as nuvens do céu.
Guthrie

Difícil ser resiliente

Tem horas que a alma é dominada pela preocupação, uma carga de responsabilidade pesa sobre os ombros, dando demonstrações que nunca vai findar. Sendo péssima a sensação de perca do controle das reações. Quando caímos em si, já escorregou pelas mãos toda a razão.
Com feroz força todo arrependimento do mundo toma conta do pensamento, e os questionamentos não cessam acerca do que era para ser feito e o que deveria deixar de fazer. No ambiente envolta os objetos fazem barulhos desconcertantes com o único objetivo de irritar, tirar o foco, retirar um pouco de sua paciência. Paciência, sim, é o que mais precisamos e menos temos. O corpo reage o que sente a alma, dores aparecem, a cabeça parece que vai explodir e o estômago fica embrulhado, a pele engrossa e rejeita tudo que lhe toca. Nada coopera para que alguma coisa melhore. Olhamos para trás vemos só arrependimentos, erguemos o olhar para o futuro apenas dúvidas e incertezas, e no presente o sentimento é inutilidade, ignorância, sem direção …

Soldado Dedicado

Participa dos meus sofrimentos, como um bom soldado de CristoJesus.  Nenhum soldado em serviço se envolve em negócios desta vida, porque o seu objetivo é satisfazer àquele que o arregimentou.(I Tm 2.3,4)

As experiências como prisioneiro deram a Paulo ampla oportuni­dade de observar os soldados romanos e de meditar no paralelo existente entre o soldado e o cristão. Em cartas anteriores, Paulo referiu-se à guerra com principados e potestades, na qual o cristão está envolvido; referiu-se à armadura que deve vestir e as armas que deve usar (Ef 6: 10ss; 1 Tm 1: 18; 6: 12; 2 Co 6: 7; 10: 3-5; cf. Rm 6: 13-14). Mas aqui o bom soldado de Jesus Cristo é as­sim chamado por ser um homem dedicado, que mostra sua dedi­cação por se achar sempre disposto a sofrer e estando permanente­mente em guarda. Os soldados em serviço não contam com se­gurança e facilidade. Pelo contrário, dureza, riscos e sofrimento são aceitos sem contestação. É como Tertuliano expressou em seu livro Address to Martyrs (Palavr…