Devoto


Se eu te amo?
Como te amo?
Deixa-me dizer-te como.
Amo-te na profundeza, largura e altura;
Onde chega a minha alma, mesmo fora de vista
Até os confins do meu ser;
Até onde pode alcançar o Ideal.
Amo-te no nível de todos os dias,
Na quietude, á luz do sol ou da lua.
Amo-te livremente, como quem busca a retidão;
Amo-te com pureza, como quem acaba de louvar;
Como soa a nota dominante em uma sinfonia.
Quando o amanhã dourar no firmamento
Meu coração poderá te declarar: Te amei!
Com esse teu jeito encantastes, vencestes e conquistaste-me.
Encontrei em ti a plenitude da alegria; momentos que são verdadeiras delícias, que ficarão fixados perpetuamente.
Deixa-me sentir que estás sempre próximo!
Limites temos muitos, mas o amor ousar tentar!
Do amor não se foge, pois os mais bravos rios, de alguma maneira sempre desembocam no mar.
Colherei o que semeei em teu coração?
Deixe-me responder!
Basta-me ver teu coração florido e me regozijarei.
Ao meu coração resta-lhe cumprir o dever de sempre manter a esperança.
Confiar e dizer: suportarei a tristeza de amanhã, não mais comprarei nenhuma no dia de hoje.
Acalmá-lo e dizê-lo: Não te preocupes!
O amor molda o coração de todos, observa todos seus feitos;
E seu maior ato em mim foi o repousar da alegria.
Resta-me agradecer por tudo que preencheu;
Pela imensidão que fez brilhar;
Por cada sorriso que deu;
Pelo sentimento que me fez amar;
O exemplo que deixou. 
A experiência que marcou;
Pelos abraços dados. 
Pelo beijo que não foi beijado;
Pela alegria que me encantou;
Pelo o que me fez chamar de meu amor!!!
(Joaquim Queiroz)

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

QUILOMBOS E REVOLTAS ESCRAVAS NO BRASIL

Como um arco íris

Difícil ser resiliente