RAZÕES PARA DEIXAR DE FUMAR


Você sabia que o fumante inala 4.720 substâncias tóxicas numa tragada? Dessas substâncias, 80 são cancerígenas. A tragédia do vício de fumar provoca a morte de 3.500.000 pessoas por ano no mundo. Só no Brasil, 100.000 pessoas morrem por ano em virtude do hábito de fumar.

Abaixo, mostramos algumas das substâncias encontradas nos cigarros e os malefícios que elas causam no organismo:

- Alcatrão: é altamente cancerígeno, dando início à formação de tumores.
- Nicotina: causa dependência química e diminui a chegada do sangue nos tecidos e no sistema nervoso central.
- Monóxido de carbono: diminui a quantidade do oxigênio no sangue.

Os dados sobre os efeitos devastadores do fumo sobre o organismo são alarmantes:

- O fumo é responsável por 30% das mortes por câncer;
- 90% das mortes por câncer no pulmão;
- 97% do câncer da laringe;
- 25% das mortes por doença do coração;
- 85% das mortes por bronquite e enfisema;
- 25%das mortes por derrame e por 50% dos casos de câncer de pele.

Alguns efeitos do uso continuado do cigarro são o risco de impotência no homem e de risco de aborto ou parto prematuro na mulher.

Um aviso principalmente aos pais: 90% das pessoas começam a fumar entre os 15 e 19 anos. Por isso, é preciso frisar para os jovens que bastam sete segundos para a nicotina atingir o cérebro, estimulando os neurônios.

Estatisticas gerais: Oitenta mil pessoas morrem no Brasil precocemente, a cada ano, em decorrência de doenças devidas ao tabagismo. Uma média de dez pessoas por hora. Cento e cinqüenta mil pessoas são mortas pelo cigarro a cada ano na América Latina. Em 2020, este número será de quatrocentos mil por ano. Três milhões e cem mil pessoas morreram em 1995, em decorrência de doenças provocadas pelo tabaco. Em 2030 este número deve chegar a dez milhões. Vinte e dois anos de vida é o que perdem as pessoas que fumam a vida toda, segundo cálculos da Organização Mundial de Saúde. 90% dos fumantes ficam dependentes da nicotina entre 15 e 19 anos de idade. Existem dois milhões e quatrocentos mil fumantes nesta faixa etária. 90% das mortes por câncer no pulmão são provocadas pelo fumo, que também é responsável por 85% das mortes por doenças pulmonares como enfisema. 25% das mortes provocadas por doenças coronarianas (infarto, por exemplo) e cérebro-vasculares (como derrame) são provocadas pelo fumo. Em 1994, existiam cento e trinta mil fazendas de tabaco no país, principalmente no Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Panará (para cigarros) e na Bahia e Alagoas (para charutos). O Brasil é o sexto maior mercado de cigarros do mundo e, desde 1994, o maior exportador da folha de tabaco. De 1975 a 1994, a exportação de tabaco do Brasil aumentou de cento e trinta mil para duzentos e sessenta mil toneladas. Taxa que incide sobre o maço de cigarro: 74% no Brasil, talvez este seja o fator dos cigarros vendidos no país serem contrabandeados. O número de fumantes no mundo é 1,1 bilhão. Nos países em desenvolvimento, quatrocentos e oitenta e cinco dos homens e 7% das mulheres fumam. Nos países desenvolvidos, 42% dos homens e 24% das mulheres fumam. O dinheiro movimentado pelas cinco grandes empresas de cigarro juntas é de sessenta e cinco bilhões de dólares, igual ao Produto Interno Bruto de Israel. As cinco grandes multinacionais de tabaco, juntas tiveram lucro de 9,3 bilhões de dólares em 1993, dez vezes maior que todo o orçamento anual da Organização Mundial de Saúde. Segundo o Banco Mundial, o consumo de tabaco gera um perda de duzentos bilhões de dólares por ano no mundo. Algo como 6,03 trilhões de cigarros são fumados anualmente. O consumo mundial de tabaco foi de quase sete milhões de toneladas em 1994. O fumo é responsável por 85% das mortes por doenças pulmonares obstrutivas. Um terço da população adulta fuma no Brasil 11,2 milhões de mulheres e 16,7 milhões de homens. 42% dos habitantes da região Sul fumam. 31% dos habitantes da região Nordeste fumam. O Brasil é o quarto produtor mundial de tabaco, com uma área de setecentos mil hectares de plantio. Só perde para a China, Estados Unidos e Índia. Para um aumento de 1% no preço do cigarro, o consumo cairia em 0,5%. Um aumento no preço do cigarro de 10% o consumo diminuiria em 4,2%. O Ministério da Saúde adverte: os pré adolescentes brasileiros, principalmente a meninas, estão fumando cada vez mais cedo. 7,9% dos jovens usam cigarro regularmente. Mas o maior percentual é o de bebidas alcoólicas, 18,6% dos jovens brasileiros às consomem.


*Fontes: Organização Mundial de Saúde e Instituto Nacional do Câncer.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

QUILOMBOS E REVOLTAS ESCRAVAS NO BRASIL

A ENTRADA DA IGREJA NOS CÉUS

Como um arco íris