Abraão, um exemplo de Abnegação


Abnegação, para muitos parece ser obediência, mas vai além de obedecer, segundo o dicionário abnegação é a ‘renúncia espontânea do interesse, da vontade, da conveniência própria’.

Deus não trabalha em nós e por nós, por força ou violência, mas, de forma amável e justa. Abraão era um homem abnegado pelo simples fato de se doar a Deus em troca de nada, vejamos que Abraão nunca perguntou a Deus:  ‘ – É longe a terra?’ ‘ – Tem o que comer lá? ‘ – É terra fértil como onde moro?’

Abraão saiu e pronto, seja o que Deus quiser!, Se fosse Abraão um homem interesseiro ficado teria na Mesopotâmia, berço da civilização, uma cidade cosmopolita e altamente estruturada, em Ur dos Caldeus, onde segundo arqueólogos que descobriram evidências de uma civilização próspera, numa cidade rica pelo comércio e que tinha uma grande biblioteca demonstrando assim uma cultura forte. Mas não, Abraão saiu sem saber para onde ia e quando receberia as recompensas de sua escolha.

Quantas e quantas vezes escolhemos em nosso próprio favor, pensando só em nossos interesses? Imagine se Abraão tivesse pensado no conforto da casa de seu pai Tera? Se tivesse pensado nos salões de beleza para Sara, sua esposa? Ou na terra fértil para seu gado? Não, Abraão pensou no futuro.

Quem pensa somente no presente, no agora, nem passado nem futuro haverá para ele’.
O interesse de Abraão pelos interesses de Deus, pela humanidade levou Abraão a se desinteressar pelos seus próprios planos. Pense assim, o plano ou projeto Deus é muito maior que o nosso. Esqueça de sua vontade e conveniência própria e busque a vontade de Deus que é ‘boa, agradável e perfeita’ [Rm. 12. 2].  

Por Luiz  Gustavo Cabral Clemente

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

QUILOMBOS E REVOLTAS ESCRAVAS NO BRASIL

Como um arco íris

Difícil ser resiliente