CIÚME


Não há esperanças para o coração dominado pelo ciúme. De todos os sentimentos é o mais covarde dos que habitam no homem.
Hábil é o seu falar, constrói engenhosa explicação. Diz-se afortunado de sentimentos, inteiramente devotado, mas sua recompensa é objeto de ódio. Não possui consciência dos perjúrios que causa. O coração se torna um tirano, sua compaixão funesta, não se ressente de suas ações. Os olhos do ciúme enxergam apenas a loucura da vingança, seu espírito é violento, se desatina da razão, ouvindo apenas a cólera que o cerca.
Quão lastimada a sorte do coração cujo destino é traçado pelo ciúme; de pedra ou de ferro o coração revolverá, não do amor que proclama ter, mas do horror que o tomou, o execrável ciúme
Por: Joaquim Queiroz


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

QUILOMBOS E REVOLTAS ESCRAVAS NO BRASIL

Como um arco íris

Difícil ser resiliente