Entendes o que lês?

O anjo do Senhor falou a Felipe: "Vai para a banda do sul, ao caminho que desce de Jerusalém para Gaza... levantou-se e foi" (At 8.26,27). Felipe era um discípulo do Senhor "de boa reputação e cheio do Espírito Santo e de sabedoria" (At 6.3). Ele levou a mensagem do evangelho além da cidade de Jerusalém. Os métodos de Felipe são copiados em todas as igrejas pentecostais ao redor do mundo.
Naqueles dias, a cidade de Samaria estava sendo sacudida pelo poder de Deus, pela mensagem poderosa do evangelho pregada pelo diácono-evangelista Felipe. Muitos samaritanos haviam crido e foram batizados com o Espírito Santo, pela im­posição de mãos dos apóstolos Pedro e João (At 8.17).
Felipe, deixando a igreja em Samaria em "chamas" pelo poder do Espírito Santo, saiu para outra região, sob a dire­ção do Senhor. Nessa época, o diácono-evangelista, possuí­do do dom de evangelista (Ef 4.11), desce ao caminho de Gaza. "Evangelista é um ministro do evangelho, que recebe a chamada de Deus para pregar a Palavra" (2 Tm 4.4) e não "meio-ministro", uma espécie de suboficial, como acontece por aí, em algumas igrejas".
Felipe, sem hesitar, obedeceu. Deixando o grande avivamento em Samaria, viajou cerca de 90 quilômetros. Impor­tante é que Felipe não viajou só; foi em companhia de anjos (At 8.29). Fosse hoje, talvez ele não quisesse entregar a igre­ja aos apóstolos (ministério), mas procuraria logo registrar a igreja e ficar como presidente dela. Porém, Felipe sabia que sua missão era evangelizar, e não apascentar; por isso, espe­rava a direção divina para outro trabalho. De repente, ele ouviu a Palavra de Deus, que era lida por alguém que passa­va em um carro. Nesse momento, o Espírito disse-lhe: "Che­ga-te a esse carro!" Foi justamente aí que surgiu mais uma pergunta pentecostal!:
"Entendes o que lês?"
Esta pergunta não foi feita por acaso, e sim pela direção do Espírito Santo, pois o diácono evangelista estava cheio do poder de Deus, aguardando para executar o plano do Senhor. Entendes tu o que lês? Com esta pergunta se suben­tende que não é bastante ler, e sim entender.
Diz-nos o texto que o eunuco lia, mas não compreendia. Quantos estão por aí, lendo e relendo e até tirando curso, mas completamente alheios às bênçãos de Deus! Serás, meu irmão, um desses que, como o eunuco, está lendo, sem com­preender?
Entendes o que lês? Como posso entender se alguém não me explicar? Então não basta ler; é necessário entender e, para enten­der, é preciso que se explique. Quem poderia explicar? Os "Felipes" estão por aí. São aqueles que Deus chamou e aos quais deu do seu Espírito. Eles, através do ensino sistemático, doutrinário, escla­recem a Palavra de Deus nas igrejas, nas escolas, ou em reuniões específicas. O Eunuco recebeu a interpretação das Escrituras pelo Evangelista. "Então Felipe explicou, e começando por esta passa­gem da Escritura, anunciou-lhe a Jesus" (At 8.35).
Graças a Deus porque o Senhor tem levantado e está levantando homens que sabem explicar a Palavra de Deus, homens que receberam a revelação divina e se dedicaram ao ministério do ensino (Rm 12.7). Dirá alguém: "Eu não preciso de ensino ou de que me expliquem". E esses têm razão de dizer isso, porque andam sozinhos, sem a companhia de anjos (Hb 1.14). Cuidado! A Bíblia não é de particular interpretação. Assim, é preciso que seja explicada, especialmente por aqueles que aprenderam e têm a missão de ensinar.
Entendes tu o que lês? — Como poderei entender se alguém não me explicar? Quantas heresias, discussões, contendas, sem nenhum proveito, por motivo de não entender a Palavra de Deus! Quantos bacharéis em teologia negando o glorioso batis­mo com o Espírito Santo, negando a inspiração verbal e plená­ria das Sagradas Escrituras, alegando que as bênçãos do Pentecostes não são mais dadas! Bom seria que essas pessoas acei­tassem Jesus como seu Salvador, ou então tomassem a atitude do superintendente de Candace, convidando os "Felipes" a subirem no "carro deles para que sejam ensinados.
Multidões estão lendo, especialmente agora que a Bíblia vive em cada lar. Entendes o que lês? Não? Por que então não fazes como o eunuco? Subindo Felipe em seu carro, lhe ex­plicou tudo. Salvação, batismo em águas, batismo com Espí­rito Santo, dons espirituais etc. Como prova de que o eunuco entendeu, ao chegar onde havia água, pediu que Felipe o batizasse. Como poderia ele pedir batismo se não tivesse conhecimento dessa doutrina? Será que o eunuco foi batiza­do com o Espírito Santo? Felipe pregou-lhe essa doutrina. Os samaritanos mandaram chamar Pedro e João, para que rece­bessem o batismo com o Espírito Santo, porque Felipe os havia ensinado acerca disso.
Crês no batismo com o Espírito Santo? Já recebeste o po­der de Deus em teu coração? Não? Então precisas entender o que lês, ou o que estás lendo. Faça como o eunuco: chame os que entendem e eles te explicarão, e receberás a benção completa. Amém.

José Apolônio da Silva


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

QUILOMBOS E REVOLTAS ESCRAVAS NO BRASIL

Como um arco íris

Difícil ser resiliente