Assassinos sem armas


-Língua.40.
-Palavras em lugar de tiros.
-Alma, reputação, dignidade: esses são os alvos.
-Qualquer um que tropece, ainda ferido pelos próprios erros, estará sob a mira de tais pessoas.
-Sentimentos de poder e status os dominam. Não há preocupação com o próximo, mas apenas com o próprio ego.
-O modus operandi é resultado da satisfação pessoal em propagar fracassos alheios.
-Insensíveis, frios e calculistas.
-Não se colocam no lugar da vítima. Não param para pensar na dor em que seus golpes verbais irão causar.
-Não se preocupam com o rastro de destruição que um pequeno e inflamado membro do corpo pode causar em famílias, sentimentos e futuros.
-Não lembram que também são imperfeitos.
-Mesmo que pareça, mesmo que pensem, não ficarão impunes.
-Um dia tropeçarão, pois, mesmo que seja difícil acreditar, são humanos, e provarão do mesmo mortal veneno, ou, melhor dizendo: mortal saliva.
-Mas, melhor ainda, um dia serão presos, pois palavras ditas são decisões tomadas e, preferiram "puxar o gatilho" em vez de estender as mãos.
-Diante do Tribunal Celeste, o Justo Juiz os julgará.
-O que a sentença dirá? - Só Ele sabe.
-Quando será? - Só Ele sabe.
-Enquanto isso, ELE, especialista em curar corações feridos, já está cuidando PESSOALMENTE de cada uma das vítimas.

(Ary Gabriel)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

QUILOMBOS E REVOLTAS ESCRAVAS NO BRASIL

A ENTRADA DA IGREJA NOS CÉUS

Como um arco íris