Namorar ou Ficar? Eis a questão! Parte 2

Gostaríamos de discutir conceitos com vocês, apontando o que a bíblia diz sobre os princípios envolvidos no assunto. Espero que com isto, possa haver um esclarecimento considerável e um sólido desejo de praticar o ensino das Escrituras Sagradas.

Ficar é namorar de brincadeira
Brincar com os sentimentos dos outros, ou mesmo arriscar os seus, é errado. A Bíblia diz:
“Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto; quem o conhecerá?” (Jr 17.9).
Sentimentos são preciosidades. Não se gosta ou se deixa de gostar de brincadeira. Ademais, sempre se sai ferido de uma relação fingida.
Tudo quanto o cristão faz, pensa ou intenciona é para a glória do Senhor, devendo ser feito com responsabilidade e dedicação. Diz a Bíblia:
“Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios e sim como sábios” (Ef 5.15).
“Tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração, como para o Senhor e não para homens.” (Cl 3.23).

Ficar é praticar para ver se dá certo
Deus não criou a família pelo sistema empírico (experimental). Pelo contrário, o Seu desejo sempre foi agir em prol do homem, dando-lhe uma pessoa adequada para sua felicidade. Veja o exemplo de Adão (Gn 2:22) ou de Isaque (Gn 24:51). Deus tem um plano para a união de dois corações, e pode conceder bênçãos maravilhosas! Cabe ao adolescente e ao jovem estar atento às pessoas ao seu redor, consultando o seu coração e a Palavra de Deus.
“Esperei confiantemente pelo Senhor; Ele se inclinou para mim.”(Sl 40.1a)
O jovem cristão deve escolher alguém debaixo da orientação de Deus e que seja também uma pessoa cristã. Do contrário, está pecando:
“Não vos ponhais em jugo desigual com os incrédulos; porquanto que sociedade pode haver entre a justiça e a iniqüidade? Ou que comunhão, da luz com as trevas? Que harmonia, entre Cristo e o Maligno? Ou que união, do crente com o incrédulo? (II Co 6:14-16).
Namorar é conhecer alguém no sentido básico da palavra: gostos, temperamento, procedimentos, personalidade, reações, etc. O restante está reservado para o casamento.

Como escolher uma namorada?
Procure com sabedoria, lembrando que o que a garota é hoje com os pais dela ou em relação a Deus, ela o será amanhã com você também. Leia Provérbios 31.10-31 e repare nos sábios conselhos de uma mãe ao seu filho solteiro, para que se casasse com alguém digna. Procure uma moça cujos princípios sejam semelhantes a estes.

Como escolher um rapaz?
O Salmo 1:1-3 aponta o comportamento do homem bem-aventurado. As bem-aventuranças trazem um perfil ideal para o esposo preparado por Deus: humilde de espírito, manso, parecido com Jesus, limpo de coração, pacificador (Mt 5:3-9). Peça ao Senhor, abra seus olhos e esteja atenta. Deus lhe mostrará e dará uma rica oportunidade de encontro.
“Ora, àquele que é poderoso para fazer infinitamente mais do que tudo quanto pedimos ou pensamos, conforme o seu poder que opera em nós, a Ele seja a glória” (Ef 3:20,21a)

Ficar é suprir provisoriamente a carência afetiva e sexual
Este argumento é falho. O ser humano sempre foi carente de afeto, seja pela falta sentida na infância, seja pela solidão circunstancial, e nunca houve necessidade de existir um relacionamento do tipo FICAR. Há um amor maior que nos conforta e supre a carência: O AMOR DE DEUS. Diz a Bíblia:
Nós amamos porque Ele nos amou primeiro”(I Jo 4:19).
Nosso amor por Deus deve ser maior que qualquer outro amor humano, mesmo por alguém que é objeto de nossos sentimentos:
“Quem ama seu pai ou sua mãe mais do que a mim, não é digno de mim; quem ama seu filho ou sua filha mais do que a mim não é digno de mim.” (Mt 10:37).
Muito cuidado! Abraços e beijos podem se tornar uma armadilha do inimigo. Cumprimentar outros com um beijo na face, é uma coisa. Exceder-se na saudação, dando lugar à licenciosidade e sensualidade, é outra. Cuidado! Fuja do pecado e da aparência do mal:
“Afaste-se de toda forma do mal” (ITs 5.22)

Ficar é curtir todo mundo numa boa, sem compromisso
Este pensamento é anti-cristão. É uma afirmação, no mínimo, irresponsável. É fruto da carência de normas no ambiente familiar. A palavra CURTIR tem diversos significados, mas aqui é utilizada no sentido de namorar, “transar”. Sinceramente, você se casaria com alguém que já FICOU com todo mundo e que, na realidade, nunca “ficou” comprometido com ninguém? Você aceitaria que sua irmã ou sua mãe se comportassem deste jeito? Ora, se isto é escabroso quando imaginado em alguém que nos é precioso, que nos é querido, por que faz e acha interessante com as pessoas de outras famílias? Lembre-se do sábio Salomão, que, em sua velhice, exclamou com veemência:
“Lembra-te do teu Criador nos dias da tua mocidade, antes que venham os maus dias, e cheguem os anos dos quais dirás: Não tenho neles prazer.”(Ec 12.1).
Igualmente o apóstolo Paulo lembra algo muito importante a Timóteo, seu filho na fé:
“Ninguém despreze a tua mocidade; pelo contrário, torna-te padrão dos fiéis, na palavra, no procedimento, no amor, na fé, na pureza.” (I Tm 4.12)
O cristão é um ser comprometido com Deus e com o ser humano. É alguém que “veste a camisa”, que “lança mão do arado e não olha para trás”. Não ter compromisso efetivo com a pessoa querida é pecado, falta de caráter, fruto de uma educação distorcida e de um coração sem sentimentos. O que deve unir alguém à outro é o amor, e este é poderoso e permanente:
“O amor tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor jamais acaba”. (I Co 13:8).

Ficar é namoro avançado, onde vale tudo

Sendo um relacionamento mundano, fruto de uma sociedade sem Deus, FICAR não serve para nós. Simular um comportamento afetivo com quem não se ama? Ter comportamento de pessoas casadas estando solteiro? Fazê-lo com pessoas estranhas? Isto é perversão, hipocrisia e mentira. Tolo é aquele que crê nas mentiras, crê no carinho do estranho, no amor de quem não está nem aí com os sentimentos alheios. Tal pessoa está caindo na armadilha de Dalila, que trocou afetos, carinhos e atos conjugais pela destruição do infeliz Sansão (veja Juizes, capítulo 16). Quem age assim não merece você. Deus tem alguém especial, alguém que não lhe tenha como “estepe”, como “quebra-galho”, mas sim como alguém de fundamental importância. Por isso, devemos estar sempre atentos aos nosso atos, porque somos responsáveis por eles. É importante lembrar que somos passíveis de errar. Se você já se comportou mal com alguém, Deus tem um remédio para seu erro: arrependimento! “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça”. (I Jo 1:9). Ficar é fria. Ficar é coisa passageira, busque a orientação de Deus em suas relações para que sejam retas, adequadas, puras e duradouras.

Por Ricardo Paixão

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

QUILOMBOS E REVOLTAS ESCRAVAS NO BRASIL

Como um arco íris

Difícil ser resiliente