Ele morreu por mim



     Enquanto o diretor da escola missionária falava a respeito da crucifica­ção de Cristo, uma menina o ouvia atentamente. Comovida por esta bela his­tória, lágrimas rolaram de seus olhos e, levantando-se, saiu. A tarde, a menina voltou à escola e o superintendente lhe perguntou: "Maria, por que você foi embora esta manhã?" "Oh! professor, eu não podia ficar na sala, enquanto o senhor falava a respeito de Jesus pregado na cruz. Fui para um canto da es­cola, onde confessei meus pecados a Jesus e disse-lhe que eu havia ajudado a pregá-lo na cruz por causa dos meus pecados. Pedi-lhe o favor de perdoar-me porque eu havia ajudado a matá-lo. Eu estava muito triste, mas agora sinto-me feliz."

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

QUILOMBOS E REVOLTAS ESCRAVAS NO BRASIL

Como um arco íris

Difícil ser resiliente