Pular para o conteúdo principal

Quem era a mulher de Caim?



Esta pergunta é, em geral, acompanhada de um ligeiro histórico sobre a tragédia que envolveu a família de Adão, histórico que em geral não está em harmonia com o relato Bíblico.
Dizem: - "Adão teve dois filhos: Caim e Abel, Caim mata Abel e foge para uma terra distante; lá conhece uma mulher, e casa-se com ela. Com quem se casou se não havia habitantes na Terra?"
Tal pergunta quase nunca é feita pelos que têm o bom hábito de ler a Bíblia. Esperamos que o leitor seja destes. Mas procuremos elucidar este passo bíblico. Primeiramente ajustemos a pergunta ao relato. Não diz o texto bíblico que Caim saiu para uma terra distante, e "lá casou-se", como querem os que formulam a pergunta.
O relato diz simplesmente: - " E saiu Caim de diante da face do Senhor, e habitou na terra de Node, da banda do oriente do Éden. E conheceu a sua mulher, e ela concebeu, e teve a Enoque." Gênesis: 4:16,17. A região para onde Caim se mudou era chamada terra de Node, mas isto na ocasião em que Moisés escrevia o fato, isto é, cerca de 2.500 anos depois da criação do mundo.
Mas, surpreenda-se o leitor, o mundo já poderia ter na ocasião em que Caim prostrou morto seu irmão, segundo cálculos de grandes estudiosos, quase meio milhão de habitantes. Sabia disso? Então vejamos: Segundo boas autoridades, o assassínio de Abel ocorreu no ano 128 ou 130 da criação do mundo.
Ora, nós sabemos que além de Caim, Abel e Sete, os três primeiros filhos mencionados, Adão e Eva tiveram "filhos e filhas". Gênesis 5:4, mas admitamos, para sermos bem liberais, que Adão não tivesse tido outros filhos além de Caim e Abel. Quantos poderiam ter sido os descendentes diretos de ambos até o ano 128, quando ocorreu a morte de Abel?
Vejamos esta opinião de Clark: ""Não é exagero supor que os primeiros filhos de Adão tenham sido mulheres. Mas para não sermos rigorosos, vamos supor que somente aos 19 anos o filho primogênito de Adão, Caim, tenha tido uma irmã em idade de casar-se (não se espante o leitor com o fato de haverem os filhos de Adão casado com as irmãs. Até o tempo de Davi, isto ainda era comum entre todos os povos do mundo).
Casando-se aos 19 anos, no ano 128 da criação do mundo cada um dos dois filhos de Adão poderia Ter tido 8 filhos, entre homens e mulheres. Mais ou menos no ano 55, poderiam ter procedido deles cerca de 60 pessoas. No ano 80, haveria cerca de 520.
No ano 100, haveria pelo menos 4.100 pessoas. E no ano 122 esta população estaria elevada a 33.000.Mas nesta linha de descendência não estamos incluindo os outros filhos de Caim e Abel, nem os filhos dos filhos destes, mas apenas os 8 que poderiam ter tido até o ano 128 da criação do mundo. Incluindo os outros filhos de Adão, e os descendentes destes, a população do mundo não seria inferior a 450.000 pessoas no ano em que morreu Abel, isto não incluindo mulheres de idade inferior a 17 anos, e as de mais de 45 Se, porém, levarmos em conta que no ano 128, ou 130 da morte de Abel, Adão poderia ter tido mais de uma centena de filhos, pois foi criado adulto, é fácil de imaginar o vulto da população do mundo quando Caim, o assassino, saiu "de diante da face do Senhor", indo habitar a Terra de Node, que ficava "ao oriente do Éden". Gênesis 4:16. Mas esta Segunda hipótese não deve ser considerada, porquanto Sete, o terceiro filho, nasceu aos 130 anos da vida de Adão"" - (Baseado no Comentário de Clark) Caim ao sair "de diante da face do Senhor", levou sem dúvida a esposa e filhos. A expressão "conheceu Caim a sua mulher", que produz a confusão na mente de alguns, supondo referir-se ao conhecimento de uma nova pessoa, é uma expressão muito bíblica, um delicado eufemismo para denotar a união da qual resulta uma nova vida. No caso de Caim, o verbo "conhecer" é aí empregado com o fim de chamar a atenção para o nascimento de Enoque (não confundir com o Enoque justo, que foi trasladado), de cujo descendência direta viria de Lameque, o primeiro bígamo e segundo assassino. (ver Gênesis 4:18,19, 5:22 e 30) 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

QUILOMBOS E REVOLTAS ESCRAVAS NO BRASIL

A formação de grupos de escravos se deu em toda parte do Novo Mundo onde houve escravidão, os quilombos variavam de tamanho, lugar e importância, o quilombo dos Palmares sobrepôs por sua fama, devido sua resistência os números dos que habitaram lá foi consideravelmente aumentado para justificar as derrotas, um reduto onde negros de várias etnias se reuniram, onde havia a prática comércio, uma hierarquia social de guerra. Com o seu fim, jamais houve no Brasil um quilombo tão grande como Palmares. Muitos dos quilombos não eram tão longe das cidades e das grandes fazendas onde mantinham relações comerciais e de parentesco, muitos escravos se abrigavam em propriedades de plantio, ou eram seduzidos a fugir para formar pequenos quilombos para plantação, principalmente de mandioca onde atravessadores compravam o produto por um preço abaixo do mercado, muito deles assaltavam viajantes, seqüestravam, caçavam, plantavam, colhiam ou trabalhavam em minas para depois trocarem por di…

Como um arco íris

Tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças. Eclesiastes 9.10
Se devemos viver separados do mundo, como va­mos executar corretamente as tarefas seculares, comuns da vida, uma vez que os homens só fazem direito aquilo que fazem com vontade? Se nosso coração está repleto de coisas celestiais, como obedeceremos a este outro mandamento igualmente divino: "Tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças"? Eles se harmonizam perfeitamente. O homem que se coloca entre o mundo celestial e o terreno está liga­do a ambos; ele não se parece com a flor, que brota do pó e para lá retorna; nem com a estrela, que brilhando muito longe da esfera terrena, pertence totalmente aos céus. Em vez disso, nosso coração pode ser ligado ao arco-íris que, alçando-se ao céu mas repousando na ter­ra, relaciona-se tanto com o solo dos vales quanto com as nuvens do céu.
Guthrie

Difícil ser resiliente

Tem horas que a alma é dominada pela preocupação, uma carga de responsabilidade pesa sobre os ombros, dando demonstrações que nunca vai findar. Sendo péssima a sensação de perca do controle das reações. Quando caímos em si, já escorregou pelas mãos toda a razão.
Com feroz força todo arrependimento do mundo toma conta do pensamento, e os questionamentos não cessam acerca do que era para ser feito e o que deveria deixar de fazer. No ambiente envolta os objetos fazem barulhos desconcertantes com o único objetivo de irritar, tirar o foco, retirar um pouco de sua paciência. Paciência, sim, é o que mais precisamos e menos temos. O corpo reage o que sente a alma, dores aparecem, a cabeça parece que vai explodir e o estômago fica embrulhado, a pele engrossa e rejeita tudo que lhe toca. Nada coopera para que alguma coisa melhore. Olhamos para trás vemos só arrependimentos, erguemos o olhar para o futuro apenas dúvidas e incertezas, e no presente o sentimento é inutilidade, ignorância, sem direção …