Um chamado vencedor

O Dr. Alexandre Duff foi um notável veterano das missões na Índia.
Já bastante velho, regressou à Escócia, sua terra natal, para lá morrer.
Na reunião da Assembléia Geral da Igreja da Es­cócia, ele dirigiu uma sessão em que apelou viva e poderosamente a jovens para que dedicassem suas vidas à obra missionária na Índia. Mas, ninguém res­pondia ao apelo.
Dominado e eletrizado pelo apelo que fazia, o velho missionário desmaiou e caiu, e foi retirado do púlpito.
Um médico o atendia e examinava o coração, quando, repentinamente, o veterano abriu os olhos e perguntou: "Onde estou? Onde estou?"
O médico respondeu: "Fique calmo. O seu cora­ção está muito fraco".
O velho lutador logo o interrompeu, dizendo: "Mas eu preciso terminar o meu apelo. Leve-me ao púlpito. Leve-me ao púlpito. Eu não havia encerrado o meu apelo".
E o médico tornou a dizer: "Acalme-se. O senhor está muito fraco para voltar ao púlpito".
Mas o idoso missionário não queria deixar de fa­lar. Reunindo suas combalidas forças, pôs-se de pé, e, amparado de um lado pelo médico e de outro pelo presidente da assembléia, o lutador de cabelos bran­cos foi levado ao púlpito. O auditório, em peso, pôs-se em pé, admirando e homenageando a coragem dele. E, então, ele encerrou o seu apelo, dizendo: "Quando a Rainha Vitória convidou voluntários para a Índia, jovens às centenas se apresentaram. Mas, quando o Rei Jesus chama, ninguém vai".
Fez uma breve pausa, e prosseguiu: "Será que a Escócia já não tem mais filhos para dar à Índia?"
Esperou um bocado, e nada de resposta. Houve um silêncio mais que profundo.
Daí, o velho soldado de Jesus avançou, e, sentin­do o pesado fardo de milhões de pessoas ainda não alcançadas na Índia pelo Evangelho, concluiu: "Mui­to bem; se a Escócia já não tem jovens para enviar à Índia, eu, muito embora cansado e decrépito, voltarei para lá; e mesmo que já não tenha forças para pregar, descerei e me deitarei às margens do Ganges, e ali es­perarei a morte, para que os povos da Índia saibam que pelo menos um dos filhos da Escócia ainda se in­teressa bastante por suas almas a ponto de dar sua vida por eles".
Quando o veterano lutador se voltou para deixar o púlpito, o silêncio por fim foi quebrado, e muitos e muitos jovens correram ao encontro dele, dizendo-lhe à uma voz: "Eu vou! Eu vou! Eu vou!"
E depois do falecimento do Dr. Duff, muitos da­queles jovens foram para a Índia, dedicando suas vi­das à obra missionária, como resultado da compre­ensão e visão de um antigo soldado do Evangelho.
E que se pode dizer a seu respeito, amado leitor? Irá você também ao campo missionário? Deus lhe fa­lou ao coração? Tem já ouvido o clamor desses mi­lhões que ainda estão sem o Evangelho? O Senhor da seara já lhe revelou a necessidade desses povos? E você já respondeu, dizendo: "Senhor, eis-me aqui; envia-me a mim?"
Você pode ser um acionista desse movimento que está tão achegado ao coração de Deus, ganhando o não-salvo para Cristo. Nem todos podem deixar a pá­tria, a casa, mas onde estão, onde vivem, podem ob­ter a coroa do ganhador de almas.

A tarefa suprema de cada cristão verdadeiro é a evangelização do mundo.
T.L.Osborn

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

QUILOMBOS E REVOLTAS ESCRAVAS NO BRASIL

A ENTRADA DA IGREJA NOS CÉUS

Como um arco íris