A Fé que não se Apaga!

[Ela] não deixava o templo, mas adorava noite e dia em jejuns e orações. (Lucas 2:37)

Em apenas poucos versículos, Deus nos informa tudo o que precisamos saber sobre Ana, mulher piedosa que o amava no ocaso da vida. Aprendemos que:
            Ana era viúva. Essa mulher conheceu o sofrimento por ter perdido seu marido sete anos após o casamento. Mas, aparentemente, permitiu que o sofrimento moldasse seu caráter e fortalecesse sua fé. Ana passou o resto da vida servindo fielmente a Deus, de dia e de noite.
            Ana era uma mulher idosa. Aos 84 anos, ainda aguardava a "redenção de Jerusalém", o Messias, o Salvador, Jesus! Que grande bênção essa mulher recebeu quando Deus recompensou seus anos de fé permitindo que ela viesse, em carne e osso, a Esperança de Israel!
            Como se deu esse acontecimento tão alegre? Quando Maria levou o pequenino Jesus ao templo para cumprir as exigências da lei, Deus inspirou Simeão a proclamar a missão de Jesus na história da humanidade e a profetizar sobre o ministério de nosso Salvador e sobre o sofrimento de Maria. Logo em seguida à visão que Simeão teve a respeito de Maria, Deus inspirou Ana a concentrar-se mais uma vez no fato de que Jesus cumpriria as profecias e traria redenção ao mundo.
            A vida de Ana nos oferece duas lições importantes. Primeiro vemos o fruto da fé duradoura. Fé "é a certeza de coisas que se esperam" (Hebreus 11:1). Minha amiga, sua fé permanece inabalável, não se apaga, não esfria, não vacila, enquanto você espera em Deus a segunda vinda de Cristo?
            Segundo aprendemos uma lição sobre o encorajamento recíproco. Como devem ter calado fundo na alma traspassada de Maria as palavras de fé proferidas por Ana! Enquanto Maria carregava seu precioso bebê e meditava sobre a advertência de Simeão, Ana proferiu palavras de encorajamento que, com certeza, agiram como um bálsamo e acalmaram sua aflição. 
            Você procura animar, encorajar e revigorar os abatidos? Proferir palavras de fé inabalável em Deus, no momento certo, aos que estão desanimados é uma verdadeira arte divina!
            O apóstolo Paulo falou por todos nós quando declarou, com sabedoria, que "o nosso homem exterior" se deteriora (2 Coríntios 4:16). A vida nos ensina que isto é verdade, o corpo se desgasta dia após dia. Porém, em seguida, Paulo apresenta o segredo para suportar esse declínio: "Contudo o homem interior se renova de dia em dia". 
            Preste atenção ao que o eloqüente William Barclay nos diz sobre esse segredo:
ao longo da vida, a força física do homem declina, mas, por outro lado, a alma do homem se mantém em constante desenvolvimento. 
            Os sofrimentos que enfraquecem o corpo do homem podem ser os responsáveis pelo fortalecimento de sua alma. Esta foi a oração de um poeta: "Permita que eu me torne cada vez mais encantador à medida que for envelhecendo." 
            Do ponto de vista físico, a vida pode significar um declínio lento e inevitável que leva à morte. Porém, do ponto de vista espiritual, viver significa subir a montanha que leva à presença de Deus. Nenhum homem deve temer o avanço da idade, porque ele o leva mais para perto, não da morte, mas de Deus.
            Certamente a profetiza Ana foi uma mulher que se tornou mais encantadora à medida que foi envelhecendo. Aos 84 anos de idade e, sem dúvida, suportando as dores que chegam com a velhice, essa querida serva sabia aproximar-se de Deus: ela jejuava e orava continuamente. Ana nunca deixou de orar. Quando a vida parecia sem sentido (sem marido, sem filhos e, talvez, sem meios de sustento), Ana orava. Dia após dia, ela renovava sua mente e seu interior por meio da oração acompanhada de jejum. 
            Essa comunhão diária, contínua e fiel com Deus, a Fonte de toda força, possibilitou que Ana escalasse a montanha que leva à presença do Senhor. De fato, a fidelidade diária de Ana foi recompensada, porque viu Deus quando contemplou o menino Jesus. O Senhor e Salvador finalmente havia chegado!
            Que você possa seguir os passos de Ana e olhar para o Senhor em busca de força e graça... dia após dia.

Extraído do livro "Mulheres que Amaram a Deus", Editora United Press

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

QUILOMBOS E REVOLTAS ESCRAVAS NO BRASIL

Como um arco íris

Difícil ser resiliente