O cuidado de Jesus


Sendo visto por eles por espaço de quarenta dias, e falando das coisas concernentes ao reino de Deus.
Atos 1.3



Essa espera de quarenta dias é a maior prova do terno cuidado de Cristo em relação a seu pequeno re­banho. Aquele que dera a vida por eles reluta em deixá-los. Apesar de o terem traído e duvidado dEle, não haviam enfraquecido nem esgotado seu amor. Ele per­manece para cuidar deles outra vez, e mais outra, e ainda outra, como se estivesse voltando atrás para abençoá-los. Isso está de pleno acordo com sua vida de amor. Em todos os lugares, vai ao encontro deles sem nenhuma insinuação de censura, sem fazer nenhuma referência ao amargo sofrimento, revelando-se aos dis­cípulos com uma brandura e bênção indescritivelmente belas.
Como partir, sem antes consolar o coração machu­cado de Madalena? Precisa ficar até que o pobre Pedro se arrisque a aproximar-se para obter a certeza do per­dão. Precisa permanecer para reforçar a fé de Tome. Precisa demorar-se entre eles até fazê-los sentir que con­tinua sendo o mesmo Jesus, amigo e irmão que sempre foi, cuidando deles no trabalho, observando-os com ter­na compaixão, inclinando-se para acender um fogo que sirva para aquecê-los e assar-lhes os peixes da refeição, e depois convidando-os a vir e comer.
(Mark Guy Pearse)

Comentários

Postagens mais visitadas