Assalto


Ela veio sem querer, querendo,
Caladinha, sem muito explicação
Para tudo obter
De mansinho foi tomando conta de tudo
Roubando de mim o meu.
E ainda é capaz de possuir a serenidade da inocência.
Seu olhar disse tudo,
O sorriso desatou-me,
Do seu jeitinho tornei-me refém.
Com seu modes operandis peculiar 
Num instante encantou-me.
Foi sisuda, fria e cruel
Clinicamente atuou
Acertando em cheio meu coração.
Venho aqui denunciar que vários são seus crimes:
Invasão de propriedade
Sem autorização apossou-se do meu coração
Cárcere privado, cativo a ti para nunca mais ser livre.
Apesar de ter sofrido tão grande assalto,
Vivo feliz!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

QUILOMBOS E REVOLTAS ESCRAVAS NO BRASIL

A ENTRADA DA IGREJA NOS CÉUS

Como um arco íris