Decisões


Todos tomamos decisões. Algumas sábias, outras não. Deus nos pede para tomarmos decisões eternas, e essas decisões têm conseqüências eternas.

Você fez algumas más escolhas em sua vida, não é verdade?
Se equivocou ao escolher seus amigos, talvez sua profissão, e quem sabe, seu cônjuge. Agora olha para trás e diz: «Se eu pudesse… se pudesse me libertar dessas más decisões». Pode! Uma boa decisão para a eternidade compensa milhares de más decisões feitas na terra.

Você tem que tomar a decisão.

Desde que Jesus veio à terra, esta decisão esteve disponível para nós. E no entanto nos espantamos como alguns podem decidir-se pela vida eterna e outros rejeitá-la. Nos admiramos em como dois homens podem ver o mesmo Jesus, e um deles blasfemar Dele e o outro orar a Ele. Não sei como pôde ser isso, mas assim o fizeram.
Isso foi o que aconteceu na cruz. Havia outras duas cruzes no topo da colina, no dia em que Jesus morreu. Dois criminosos sofriam junto com Ele a mesma morte. E essas duas cruzes nos recordam um dos maiores dons de Deus: O dom da decisão. Um se decidiu por Jesus, o outro simplesmente O desprezou. As Escrituras revelam parte da história:

 «Um dos malfeitores que estavam pendurados, blasfemava dele, dizendo: Não és tu o Cristo? salva-te a ti mesmo e a nós. Respondendo, porém, o outro, repreendia-o, dizendo: Nem ao menos temes a Deus, estando na mesma condenação? E nós, na verdade, com justiça; porque recebemos o que os nossos feitos merecem; mas este nenhum mal fez. Então disse: Jesus, lembra-te de mim, quando entrares no teu reino. Respondeu-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso.» Lucas 23.39-43

Quando um dos ladrões que morria orou, Jesus o amou o suficiente para salvá-lo. E quando o outro blasfemou, Jesus o amou o suficiente para lhe permitir fazer isso.
Permitiu-lhes tomarem suas decisões.
Ele faz o mesmo com você.
Max Lucado

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

QUILOMBOS E REVOLTAS ESCRAVAS NO BRASIL

A ENTRADA DA IGREJA NOS CÉUS

Como um arco íris