Pular para o conteúdo principal

Deus Restaurará Os Seus Anos Consumidos! - Parte 2


Joel Profetiza A Restauração Completa Daqueles Que Se Arrependem.

"Restituir-vos-ei os anos que foram consumidos pelo gafanhoto" (Joel 2:25). A versão da The New American Standard diz: " Vou lhe compensar pelos anos...consumidos."
Esta promessa é incrível! Durante todos estes anos eu havia desejado compensar aqueles anos para Deus, corrigir coisas e Lhe fazer uma restituição! Mas Ele diz: "Errado! Eu vou lhe compensar - por todos aqueles anos em que você foi devastado, desnudado e fustigado pelo diabo. Não há como você possa me reembolsar por nem sequer uma hora do tempo desperdiçado. Ande diante de Mim em retidão, deixe os seus pecados - e Eu compensarei por todas as perdas, sejam elas suas, de sua família, ou Minhas!"
Aos pecadores arrependidos o Senhor declara: "Não temas...regozija-te e alegra-te, porque o Senhor faz grandes cousas (Joel 2:21). Você não precisa se envergonhar dos seus anos perdidos. Deus vai remover o exército maligno de você; voc ê vai se alimentar e ficar satisfeito. Você não será nunca mais envergonhado! (Joel 2:19-20, 26-27).
Você nasceu para os propósitos eternos dEle. Ele planejou para você uma vida de satisfação, de alegria e de utilidade no Seu reino. Mas aí o pecado entrou, e o plano de Deus para você foi interrompido. O devorador se instalou, e de repente os anos se tornaram inaproveitados, perdidos.
Mas agora em Cristo tudo é novo - até o calendário! O Senhor volta at é o dia em que o gafanhoto chegou, e Ele remove todos aqueles anos perdidos e começa a contar novamente desde o momento em que você se arrependeu! Todas aquelas bên çãos que você perdeu, foram armazenadas! Toda a alegria, a paz, as revelações, o proveito que você acreditava estarem mortos e acabados para sempre, foram na realidade guardados pelo Senhor!
No inferno, os condenados podem ser perseguidos pela visão do que suas vidas poderiam ter sido. Alguns podem ver o que perderam. Mas não é assim que ocorre para os que se arrependem . Tudo será restaurado! Nunca mais precisarão dizer: "Ó, eu perdi tanto! O que eu poderia ter sido? Ó, Deus tinha tanta coisa para mim, mas estraguei tudo!" Não! Deus pode restaurar todas as bênçãos desperdiçadas!
Deus ordenou que houvesse o ano sabático - todo sétimo ano - em Israel (Lev. 25:3-4). O povo devia permitir que a terra repousasse neste sétimo ano. Mas eles ficavam pensando no que iriam comer: "Se disserdes: Que comeremos no ano sétimo, visto que não havemos de semear, nem colher a nossa messe? Então, eu vos darei a minha bênção no sexto ano, para que dê fruto por três anos" (Lev. 25:20-21).
O Senhor da colheita apenas precisava falar e a necessidade era preenchida com abundância. Amado, o mesmo é verdade para todo crente hoje! Deus apenas necessita pronunciar a palavra, e os anos perdidos podem lhe ser restaurados!
Eis como Deus restaura os nossos anos consumidos. Ele produz em nós alegria, revelação, paz e vitória sobrenaturais - bem além de nossas possibilidades humanas! Ele pode realizar mais em nós, por nós e através de nós agora, do que jamais imaginamos.
Podemos colocar-nos em pé hoje, como se nunca houvéssemos pecado, como se não houvéssemos desperdiçado o tempo, como se estivéssemos exatamente aonde estaríamos caso o devorador jamais houvesse chegado! Deus nos recoloca em Sua programação divina. Os Seus planos e propósitos eternos estão exatamente aonde Ele planejou que estivessem. Nada foi perdido!
O Senhor Deus deseja derramar sobre nós todas as bênçãos e alegrias nEle, que foram consumidas antes! Porém, Ele não compensa tudo através de derramamento apenas! Estes derramamentos transformam-se em trasbordamentos! "As eiras se encherão de trigo, e os lagares transbordarão de vinho e de óleo" (Joel 2:24).
Este é o poder que existe no arrependimento. Ele devolve-nos tudo o que gafanhoto destruiu. Deus ressuscita.

                                                                                                                        David Wilkerson

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

QUILOMBOS E REVOLTAS ESCRAVAS NO BRASIL

A formação de grupos de escravos se deu em toda parte do Novo Mundo onde houve escravidão, os quilombos variavam de tamanho, lugar e importância, o quilombo dos Palmares sobrepôs por sua fama, devido sua resistência os números dos que habitaram lá foi consideravelmente aumentado para justificar as derrotas, um reduto onde negros de várias etnias se reuniram, onde havia a prática comércio, uma hierarquia social de guerra. Com o seu fim, jamais houve no Brasil um quilombo tão grande como Palmares. Muitos dos quilombos não eram tão longe das cidades e das grandes fazendas onde mantinham relações comerciais e de parentesco, muitos escravos se abrigavam em propriedades de plantio, ou eram seduzidos a fugir para formar pequenos quilombos para plantação, principalmente de mandioca onde atravessadores compravam o produto por um preço abaixo do mercado, muito deles assaltavam viajantes, seqüestravam, caçavam, plantavam, colhiam ou trabalhavam em minas para depois trocarem por di…

Como um arco íris

Tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças. Eclesiastes 9.10
Se devemos viver separados do mundo, como va­mos executar corretamente as tarefas seculares, comuns da vida, uma vez que os homens só fazem direito aquilo que fazem com vontade? Se nosso coração está repleto de coisas celestiais, como obedeceremos a este outro mandamento igualmente divino: "Tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças"? Eles se harmonizam perfeitamente. O homem que se coloca entre o mundo celestial e o terreno está liga­do a ambos; ele não se parece com a flor, que brota do pó e para lá retorna; nem com a estrela, que brilhando muito longe da esfera terrena, pertence totalmente aos céus. Em vez disso, nosso coração pode ser ligado ao arco-íris que, alçando-se ao céu mas repousando na ter­ra, relaciona-se tanto com o solo dos vales quanto com as nuvens do céu.
Guthrie

Difícil ser resiliente

Tem horas que a alma é dominada pela preocupação, uma carga de responsabilidade pesa sobre os ombros, dando demonstrações que nunca vai findar. Sendo péssima a sensação de perca do controle das reações. Quando caímos em si, já escorregou pelas mãos toda a razão.
Com feroz força todo arrependimento do mundo toma conta do pensamento, e os questionamentos não cessam acerca do que era para ser feito e o que deveria deixar de fazer. No ambiente envolta os objetos fazem barulhos desconcertantes com o único objetivo de irritar, tirar o foco, retirar um pouco de sua paciência. Paciência, sim, é o que mais precisamos e menos temos. O corpo reage o que sente a alma, dores aparecem, a cabeça parece que vai explodir e o estômago fica embrulhado, a pele engrossa e rejeita tudo que lhe toca. Nada coopera para que alguma coisa melhore. Olhamos para trás vemos só arrependimentos, erguemos o olhar para o futuro apenas dúvidas e incertezas, e no presente o sentimento é inutilidade, ignorância, sem direção …