Deleita-te no Senhor


O nosso Deus não somente ama o Seu povo, mas tem prazer em cada um de nós. Ele tem grande alegria em nossas vidas. E Ele é na verdade bendito nos guardando e nos livrando.
Eu vejo este tipo de prazer paterno em minha esposa, Gwen, sempre que um de nossos netos nos liga. Gwen se ilumina como uma árvore de Natal quando está conversando com um dos nossos netinhos. Nada consegue tirá-la do telefone. Mesmo se eu lhe disser que o Presidente da República está à nossa porta, ela me afasta e continuará conversando.
Como eu poderia acusar o meu Pai celestial de se alegrar em mim, menos do que eu o faço com a minha própria descendência? Às vezes meus filhos me desapontam, fazendo coisas contrárias às que os ensinei. Mas em nenhum momento os deixo de amar ou de me agradar neles. Assim, se eu possuo este tipo de amor duradouro sendo um pai imperfeito, quanto mais nosso Pai celestial se preocupa conosco, Seus filhos?
É por isso que eu considero este episódio com os espias de Israel tão desconcertante. Repetidas vezes, Deus tinha provado Seu amor ao povo. Ainda assim, em todas as ocasiões eles se recusaram a aceitá-lo. Finalmente, Josué e Calebe se levantaram no meio deles e gritaram: "Se o Senhor se agradar de nós, então nos introduzirá nesta terra e no-la dará" (Números 14:8). Que declaração simples e ao mesmo tempo poderosa. Eles estavam dizendo, "Nosso Senhor nos ama e tem prazer em nós. E Ele vai derrotar cada um dos gigantes, porque Ele se delicia em fazer isto por nós. Portanto, não devemos olhar para nossos obstáculos. Nós temos que manter nossos olhos no grande amor que o Senhor tem por nós".
Ao longo das Escrituras nós lemos que Deus se deleita em nós: "os que são perfeitos em seu caminho são o seu deleite" (Provérbios 11:20). "a oração dos retos lhe é agradável."(15:8). "meu inimigo forte... eram mais poderosos do que eu... mas o Senhor foi o meu amparo. Trouxe-me para um lugar espaçoso; livrou-me, porque tinha prazer em mim" (Salmo 18:17-19).
Neste último versículo, nós descobrimos a grande verdade que Israel não percebeu: "Ele me libertou, porque se agradou de mim". Não importa quão forte nosso inimigo possa ser -- não importa quão devastadora seja nossa provação de fogo, ou quão sem esperanças as coisas possam parecer -- nosso Deus nos libertará. Por que? Porque Ele se agrada em nós!
Deus tinha deixado abundantemente claro o Seu  amor para com Israel. Por isso Ele podia perguntar ao Seu povo "Por que dizes... ó Israel: O meu caminho está escondido ao Senhor, e o meu juízo passa despercebido ao meu Deus?" (Isaías 40:27).  Ele estava dizendo:  "Como vocês podem dizer que Eu não vi sua aflição? Como vocês podem acreditar que Eu não tenho prazer em vocês? Eu me agradei do meu servo Jó durante todas as suas terríveis experiências. E estou Me agradando de vocês agora mesmo, em meio às suas dificuldades”.
É absolutamente imperativo que acreditemos - rapidamente e com convicção, hoje -- que Deus nos ama e se agrada de nós. Então estaremos capacitados a aceitar que toda circunstância em nossas vidas irá provar no final ser a amorosa vontade de nosso Pai para conosco. Nós sairemos de nosso deserto repousando nos braços amorosos de Jesus. E Ele produzirá alegria a partir do nosso choro.
Querido santo, não olhe para suas contas que se acumulam. E não tente olhar para um futuro incerto. Sua função é confiar nas promessas de aliança de nosso Pai, e repousar no Seu grande amor por você. Você sairá vitorioso, porque Ele o está segurando em Seus braços de amor. 
(David Wilkerson)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

QUILOMBOS E REVOLTAS ESCRAVAS NO BRASIL

A ENTRADA DA IGREJA NOS CÉUS

Como um arco íris