Uma noiva para Isaque


Se no drama de Moriá - onde mais tarde se ergueria o Templo israelita - temos em Abraão e no cordeiro figuras de Deus Pai e Deus Filho, no casamento de Isaque deparamo-nos com tipos de toda a Trindade.
Se Isaque foi um tipo fiel de Cristo em sua obediência até à morte, também o foi em relação ao seu casamento com Rebeca -uma noiva oriunda de sua parentela.
Eliezer, em cuja mão estava toda a fazenda do seu senhor, tipifica o Espírito Santo enviado à terra para preparar e levar até Cristo uma noiva "gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível" (Efésios 5.27).
É interessante notar como, na seqüência de Gênesis, Cristo morre no capítulo 22 como o "cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo”(João 1.29); no capítulo seguinte dá-se a morte de Sara, sua mãe natural, como tipo de Israel, e então, no capítulo 24, a Igreja é chamada para ocupar sua elevada posição de noiva do Cordeiro, depois derrubada a parede de separação entre judeus e gentios (Efésios 2.14).
Em sua missão de buscar uma noiva para Isaque, Eliezer tomou dez camelos, nos quais levou "vasos de prata e vasos de ouro, e vestidos, e deu-os a Rebeca".
Na Bíblia, o número dez significa perfeita ordem divina, onde nada falta. Por isso a Rebeca do Novo Testamento, a Igreja de Cristo, não tem falta de nada. Ela recebeu da parte do Pai (Abraão), por intermédio do Espírito Santo (Eliezer), os seguintes dons:
a.  Vasos de prata. A prata é símbolo de resgaste (Êxodo 30.12-16; Levítico 5.15), e aponta para a obra expiatória de Cristo no Calvário. Os vasos de prata são a primeira coisa mencionada na relação dos presentes dados a Rebeca por Eliezer. Como noiva de Cristo, fomos salvos mediante o lavar regenerador e renovador do Espírito Santo, que aplicou nas nossas vidas o sangue purificador de Cristo (Tito 3.5; 1 João 1.7).
b.  Vasos de ouro. O ouro indica a glória de Deus, como o metal presente nos lugares Santo e Santíssimo do Tabernáculo, onde se manifestava a glória divina (2 Coríntios 3.18).
c.  Vestidos. Rebeca recebeu de Eliezer vestidos. A Igreja jamais poderá ser apresentada ao seu Noivo trajada dos trapos imundos da sua própria justiça. Por isso o Espírito Santo dá-lhe vestidos apropriados - vestidos de salvação e vestidos de louvor (Isaías 61.3,10).

(Pr. Abraão de Almeida, CPAD, 1985, O Tabernáculo e a Igreja)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

QUILOMBOS E REVOLTAS ESCRAVAS NO BRASIL

Como um arco íris

Difícil ser resiliente